Sejam bem vindos!

Um dos requisitos necessários ao professor da atualidade é manter-se atualizado em sua área, inovar sempre e demonstrar criatividade e disposição para modificar e melhorar a sua prática pedagógica.

Portanto, este blog foi criado para auxiliar nesta tarefa, contribuindo para a troca de experiências, com novas ideias, sugestões, textos teóricos, mensagens reflexivas, vídeos e muito mais.

Espero que todos apreciem, dê a sua sugestão do que gostaria de ver postado aqui e deixe o seu recado, ficarei muito satisfeita em atender as solicitações sempre que possível.

Bom passeio a todos!



quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

MORDIDAS: APRENDIZAGEM OU AGRESSIVIDADE?


A mordida é uma forma de agressividade? O meu filho está se tornando violento? Por que as crianças mordem tanto?
Essas e outras perguntas são constantemente feitas pelos pais, e, de uma forma simples e ilustrativa, Ana Maria de Araújo Mello e Telma Vitória, respectivamente, chefe técnica e psicóloga da Creche do Campus de Ribeirão Preto, elaboraram este material.
Entregamos a vocês, pais e funcionários esta contribuição, como forma de esclarecimento e orientação sobre este assunto, que numa fase da vida da criança traz questionamentos.

Yara Lucia Brayner Mattos
Diretora da Divisão de Creche da COSEAS

Ninguém gosta que o seu filho seja mordido e, no geral, a família inteira se sente agredida ou preocupada quando seus filhos são mordidos ou mordem alguém. Querem saber quem são os mordedores e, às vezes, sentem-se culpados por deixá-los, ainda pequenos, em instituições que tenham tantas crianças desta faixa etária.
Por isto, é interessante que possamos aprender alguma coisa sobre a mordida: será que é um problema sério? O que significa a mordida?
Antes de qualquer coisa, é bom lembrar que é pela boca o primeiro contato que uma criança tem com o mundo! Você já reparou em um bebê de quatro meses? Ele leva mãos e objetos até a boca. Por que será?
Para conhecer um objeto, o bebê precisa ter experiências com ele. E, nesta idade, o que ele sabe fazer é levar o objeto à boca.
Cada vez que ele repete esta ação, está ampliando o seu conhecimento sobre um objeto e sobre as diferenças entre vários objetos: pesos, tamanhos, texturas, formatos diferentes, etc. Claro que estas experiências ensinam formas de ação para o bebê; não podemos dizer que haja elaboração e reconhecimento destas diferenças, pois isto se dará posteriormente, isto é, com a consciência do objeto.
Além destes comportamentos, várias são as formas de comunicação, neste primeiro ano de vida, que implicam no uso da boca, por exemplo, aceitar ou rejeitar o alimento, chorar quando está com fome, etc.
O choro varia de intensidade, cada uma delas com um significado diferente, uma mensagem diferente, e os pais já sabem o que cada choro quer dizer, o mesmo com os sorrisos, o balbucio.
Depois, o bebê cresce um pouco mais e começam as mordidas, que também são uma forma de comunicação com as pessoas e uma maneira de perceber o mundo 1º - o duro e o mole podem ser percebidos; 2º - em interação com outra criança ou com o adulto, ocorre uma mordida, haverá uma reação, ou seja, uma resposta social que, para ela poderá ser nova e surpreendente. Consideramos também estas formas de comunicação como aprendizagem. O novo para a criança merece repetição, principalmente quando é reforçado.
Mas não é simplesmente o riso do adulto, os comentários, etc, que fazem com que a criança intensifique este comportamento.
As experiências individuais de cada criança frente às situações de vida também influenciam.
Por exemplo, a maneira como ela experimenta e reage ao sentimento de ciúme, a busca de atenção ou exclusividade. A vida em comunidade promove, muitas vezes esta experiência.
A criança também pode se utilizar da mordida como reação agressiva a algum sentimento, que está sendo impedido de se manifestar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário